terça-feira, 31 de julho de 2012

Green Games: os ingleses chegaram na frente - Aylê-Salassié de Londres

Tudo Virado - Internet

(London Bridge UCB News)

Entusiasmado com a escolha do Brasil para sediar as Olimpíadas de 2016, o então Presidente Lula, anunciava para todo lado que o Brasil iria fazer as Olimpíadas Verdes . Os ingleses chegaram na frente. Os XXX Jogos Olímpicos de 2012, abertos ontem, e presenciados pela presidente Dilma Roussef, estão sendo chamados orgulhosamente por eles de Green Games. Para selar a proposta, alguns dos maiores os ícones da defesa do meio ambiente da Inglaterra vieram para a abertura . Entre eles, Paul McCartney, Davi Beckham, o príncipe Charles – que trocava idéias com ambientalista brasileiro José Lutzemberger – e a própria rainha Elizabeth .
O Parque Olímpico de Londres é um dos primores da política ambiental inglesa. Além das práticas sustentáveis generalizadas, o projeto, para começar, recupera uma área degradada de 240 hectares, na qual foram protegidos alguns pequenos ecossistemas e a sua fauna local. O Olimpic Park é ornado por bosques , mangues, rios, sistema de captação de resíduos descartáveis, suportes de aquecimento solar e uma multiplicidade de práticas e orientações sustentáveis. Ao agregar como uma das prioridades a beleza cênica (landscape) do local, permitiu-se a introdução de algumas espécies exóticas, mas todas originárias do bioma da ilha britânica. Segundo o professor Nigel Dunnet, consultor do projeto. “Nós queremos que os Jogos de Londres de 2012 funcionem como uma ampla exposição da horticultura da Gran-Bretanha, senão como o melhor que já se fez nessa área no mundo do esporte”.
É impossível descrever aqui os modelos, os projetos, as espécies e as tecnologias de ponta introduzidas pelos ingleses nos XXX Jogos. Se o Brasil vai repetir Londres com os Jogos Verdes ou se vai dar um “Up grade” no que está acontecendo por aqui em termos ambientais e tecnológicos não se sabe ainda. O certo é que 240 especialistas brasileiros – engenheiros, arquitetos, botânicos, gestores, paisagistas e outros - estão espalhados pelos locais dos eventos, alguns quase como espiões, levantando dados sobre os avanços de Londres sobre os Jogos de Pequim (2008), para identificar a sustentabilidade daquilo que poderá ser utilizado no Rio de Janeiro. Especialistas ingleses, bem como alguns chineses estão sendo convidados a participar, como consultores, da organização dos jogos no Brasil.
Práticas sustentáveis há muito tempo vêm introduzindo na vida cotidiana dos ingleses : água tratada, resíduos sólidos reciclados, filtragem do ar e uma série de medidas que os cidadãos vão absorvendo vagarosamente. A idéia da sustentabilidade não surgiu com os Jogos, mas a sua realização ampliou o horizonte ambientalista dos ingleses. O tamanho das discordâncias para aprovação da novo Código Florestal, no Congresso, mostra como os brasileiros estão ainda distantes de uma política ambiental consistemente séria. Comemora-se mais aqui a redução do desmatamento na Amazônia, que mesmo no Brasil. Tem-se, entretanto, quatro anos pela frente até as Olimpíadas do Rio de Janeiro.
London Bridge UCB News.Dados dos XXX Jogos Olímpicos Estima-se que os Jogos de Londres terão uma audiência televisiva acumulada no mundo superior a 4 bilhoes de pessoas. A Tocha Olímpica, que sempre deu uma volta ao mundo, nos jogos de Londres foi transportada apenas dentro do território da Gran- Bretanha por por 8 mil pessoas, entre eles membros da família real e personalidades conhecidas no mundo do esporte , do teatro e defensores do meio ambiente. Algumas dessas pessoas que já foram ícones ingleses sugiram, para surpresa dos próprios ingleses, carregando a tocha olímpica na passagem por suas cidades de origem. Assim foi com Gordon Banks, Bob Charlton, o próprio Sebastian Coe ( Presidente dos Jogos) e outros bastante conhecidos ainda, embora desaparecidos da mídia.
- 11 milhóes de tickets estão sendo disponibilizados para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos
- 8 milhoes de tickets serão destinados aos britânicos
- 175 mil estudantes terão acesso livre aos Jogos
- 200 mil pessoas envolvidas, incluindo 70 mil voluntários
- 20 mil atores na cerimônia de abertura
- 14.690 atletas participarão dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos
- A Tocha Olímpica foi transportada dentro do território da Gran Bretanha por por 8 mil pessoas, entre eles membros da família real e personalidades conhecidas no mundo do esporte , do teatro e defensores do meio ambiente.
- O cabeamento usado para os locais dos jogos correspondem a dar 1,3 milhão de vezes de voltas em torno de Londres
- 800 mil pessoas vão usar os transportes públicos para os locais dos Jogos
- Duas das piscinas onde serão disputados as provas de natação e as de mergulho acumulam 10 milhões de litros.
- Os laboratórios anti-dopping deverão realizar mais de 6.250 testes.
- Transparência orçamentária Na Gran-Bretanha, a informação sobre gastos públicos é aberta. Está à disposição dos ingleses, e são publicados integralmente pelos jornais. Os Jogos de Londres vão custar pouco mais de 7 bilhões de libras, contra 9 bilhões dos Orçamento original. Gasta-se menos, ao invés de resultar em contas maiores.Abaixo, custos dos projetos e obras das principais arenas e estádios dos Jogos de Londres.
- O Estádio Olímpico, com capacidade para 80 milhões de espectadores, custou 486 milhoes de libras
- Centro Aquático, para 17,500 espectadores custou 269 milhões
- A Arena de Basquete – uma das que deverá ser transferida para o Brasil – com capacidade para 12 mil espectadores, custou 90 milhões de libras.
- O Velódromo, para 6 .000 espectadores, custou 105 milhões de libras
- A Arena de Hockey para 16 mil pessoas, custou 19 milhões de libras.
- Arena de Water Polo, para 5.000 pessoas, custou 19 milhões de libras.
- A Arena de Cobre, para handbal, penthatlon, e fencing, tem capacidade para 7.000 pessoas e custou 44 milhões de libras.

Cordialmente
Aylê-Salassié
http://spaces.msn.com/ayleq