sexta-feira, 27 de março de 2009

Capa da Monografia do Adenir Balmant

Publico a capa da Monografia apresentada pelo Adenir, nela ha' fotos de times do Colégio Evangélico de 1963 e dos times formados por ex-alunos para comemorar os 55 anos do Rubens Gripp, em 1989. Rubens batia uma bola redonda.
ADENIR DE OLIVEIRA BALMANT
(Time da AECE (Associação Esportiva Colégio Evangélico) em 1963
OS ESPAÇOS DO FUTEBOL E DA CULTURA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E
ADULTOS
(Times de Ex-alunos do Colégio Evangélico de Alto Jequitibá)
(Jogo no aniversário de Rubens Gripp em 1989)
(55 anos de futebol de Rubens Gripp)

Rio de Janeiro
2007
Monografia de conclusão de curso apresentada à Pós-graduação Latu Sensu
Educação de Jovens e Adultos:
concepções e perspectivas, da
Universidade Estácio de Sá, sob
orientação do prof. Dr. Domingos Barros
Nobre

Alto Jequitiba'


Este é o adesivo comemorativo da centésima festa de setembro, que ocorrera' entre os dias 5,6 e 7 de setembro, em Presidente Soares, a nossa querida JEQUITIBA'.
Para uns é o centena'rio do Colégio Evangélico, para outros a data é outra. Sem querer entrar no espicha encolhe do assunto, vamos todos comemorar o prazer de rever amigos e colegas da época e assunto encerrado. O que vale é a alegria. Depois se resolve o resto, combinado?
O adesivo foi enviado pelo Ma'rio Pereira, que além de ex-aluno fana'tico, é o manda - trovoada da SUSKAP a patrocinadora cultural do adesivo.
Quem quiser receber um adesivo é so' entrar em contacto com o Ma'rio, vejam os fones, e-mail no adesivo.
Desculpem-me a falta de acentos e a diferença em outros, é que estou digitando de um teclado para o mercado italiano.

sábado, 21 de março de 2009

O Clarim Colegial

Turma do Colégio Evangélico de Alto Jequitibá, o Mário Pereira e a esposa Dênia estão indo para o encontro de ex-alunos do colégio, dia 28 aí no Rio.

Ele pede que quem tiver números do jornal O CLARIM COLEGIAL e puder levar para que ele possa fazer cópias e ou receber como "presente", para que possa ter guardado em seus arquivos e manter a memória de um período de luta, embates e disseminações de ideias, em que muitos de nós participamos, Mário ficará muito feliz.

Vamos colaborar para que ele possa recompor um arquivo com todos os números possíveis de O CLARIM COLEGIAL.

Então fica assim, leve quantos números você tiver, não importa o estado de conservação.

Barquete de pimentão amarelo

Ingredientes: 1 pimentão amarelo bem quadrado, 1 tomate maduro , 2 ovos, orégano q.b., sal. q.b.(quanto baste) e azeite
Retire a pele e as sementes do tomate, corte o tomate ao meio e pique, faça duas porções e reserve



Corte ao meio o pimentão e com uma faca pequena e fina, retire as sementes e as partes brancas




Salpique com um pitada de sal e corra um fio de azeite por dentro espalhando o azeite
Leve ao forno pré-aquecido a 180º por cerca de 20 minutos, cuide para que não queime.
Faltando uns 3 minutos para retirar o pimentão do forno, coloque numa frigideira um pouco de azeite, o tomate picado. Dê uma salteada de 2 minutos. Acrescente uma pitada de sal e o orégano. Retire do fogo

Retire o pimentão do forno e coloque dentro de cada metade, uma porção de tomate salteado e por cima 1 ovo.
Coloque uma pitadinha de sal e um pequeno pedaço de manteiga sobre a gema


Volte novamente ao forno o pimentão já montado, deixe assar até que a clara do ovo comece a ficar opaca. Retire e sirva imediatamente como entrada, se desejar pode acompanhar uma porção de arroz branco. Fica muito bem acompanhado, também, com fatias de pão italiano para aproveitar o pouco de caldo que forma do tomate, azeite e a gema

Dicas: pode-se usar pimentão vermelho, eu prefiro o amarelo. Serve duas pessoas.
Fotos: Universo



sexta-feira, 20 de março de 2009

"Deliverance" - Amargo Pesadelo - Duelo de banjo


video


http://www.youtube.com/watch?v=V2VsFe9zYjc

Você pode clicar no título em vermelho, no vídeo ou no link acima para assistir esta cena antológica e ouvir o duelo de banjos.

Duelin' Banjo, faixa 10 do lado 2 do LP (para quem não conheceu LP é a abreviação de Long Play, disco "bolacha preta"), Deliverance II - Dueling Banjos, gravado em 1979 com a participação de Eric Weissberg, Marshall Brickman, The Dillards, Tom Paley e Art Rosenbaum. A faixa Duelin' Banjo foi arranjada e adaptada por The Dillards.

O filme Amargo Pesadelo de 1972, teve a direção de John Boorman e roteiro de James Dickey, com Burt Reynolds, Jon Voight, Ned Beatty, Ronny Cox e Billy Redden,que sola o banjo.

Essa música lembra o fusquinha bege de meu cunhado, Walder, chegando ao sítio do pai, entre Pará de Minas e Pitangui, na região do Carioca. Sabiamos da chegada dele pela poeira e pela altura em que Duelin' Banjo vinha tocando, porque o fusquinha bege não dava para enxergar.

Como diz o Walder, tempo bão, sô, tempo feliz, só alegria.

Vídeo enviado pelo Walder, meu cunhadinho, pena que é cruzeirense... Informações: Capa do LP

Something - Paul, Ringo e Eric Clapton e outros "cobras"

Paul McCartney toca um cavaquinho (? a interrogação é minha), acompanhado de Eric Clapton, Ringo Starr e um time da pesada... A música SOMETHING é do genial LP ABBEY ROAD de 1969. O penúltimo dos Beatles!

video

Vídeo do YouTube enviado pelo Adenir Flumineiro Balmant, texto ídem.

terça-feira, 17 de março de 2009

Oscar Wilde

Oscar Fingal O'Flahetie Wills Wilde

Nasceu na Irlanda, Dublin em 16 de outubro de 1854 e morreu em Paris, de meningite, em 30 de novembro de 1900
Criador do movimento esteticismo ou dandismo, que defendia, a partir de fundamentos históricos, o belo como antídoto para os horrores da sociedade industrial.
Era um dandi e tinha atitudes extravagantes e uma vida social bastante agitada. Foi casado e teve dois filhos. Escreveu poemas, contos infantis, novelas, dramas e comédias para teatro, que são hoje, clássicos da dramaturgia britânica.
Escreveu um único romance, O retrato de Dorian Gray, que trata da arte, manipulações humanas e vaidade, é considerado por muitos como sendo a sua maior obra-prima.

"Escolho os meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas
pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão
pelas injustiças.
Escolho os meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta.
Não quero só o ombro ou o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri comigo não sabe sofrer comigo.
Meus amigos são todos assim: metade graça, metade sinceridade.
Não quero risos previsíveis nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem,
mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto;
e velhos, para que nunca tenham pressa.

Tenho amigos para saber quem sou.
Pois os vendo loucos e santos, loucos e sérios, crianças e velhos,
nunca me esquecerei de que 'normalidade' é ilusão imbecil e estéril".

OSCAR WILDE

Textos e foto: Wikipédia, Wal e Mitsi

A Hora do Leão

Foto: UNIVERSO
LEÃO BOM DE BOLA - SANTIAGO - CHILE
Ao Diretor do Imposto de Renda, de Paulo Mendes Campos.
Ilmo. Sr. Diretor do Imposto de Renda.

Antes de tudo devo declarar que já estou, parceladamente, à venda.
Não sou rico nem pobre, como o Brasil, que também precisa de boa parte do meu dinheirinho.
Pago imposto de renda na fonte e no pelourinho.
Marchei em colégio interno durante seis anos mas nunca cheguei ao fim de nada, a não ser dos meus enganos.
Fui caixeiro. Fui redator. Fui bibliotecário.
Fui roteirista e vilão de cinema. Fui pegador de operário.
Já estive, sem diagnóstico, bem doente.

Fui acabando confuso e autocomplacente.
Deixei o futebol por causa do joelho.
Viver foi virando dever e entrei aos poucos no vermelho.
No Rio, que eu amava, o saldo devedor já há algum tempo que supera o saldo do meu amor.
Não posso beber tanto quanto mereço, pela fadiga do fígado e a contusão do preço.
Sou órfão de mãe excelente.
Outras doces amigas morreram de repente.
Não sei cantar. Não sei dançar.
A morte há de me dar o que fazer até chegar.
Uma vez quis viver em Paris até o fim, mas não sei grego nem latim.
Acho que devia ter estudado anatomia patológica ou pelo menos anatomia filológica.
Escrevo aos trancos e sem querer e há contudo orgulhos humilhantes no meu ser.
Será do avesso dos meus traços que faço o meu retrato?
Sou um insensato a buscar o concreto no abstrato.
Minha cosmovisão é míope, baça, impura, mas nada odiei, a não ser a injustiça e a impostura.
Não bebi os vinhos crespos que desejara, não me deitei sobre os sossegos verdes que acalentara.
Sou um narciso malcontente da minha imagem e jamais deixei de saber que vou de torna-viagem.
Não acredito nos relógios… the pule cast of throught… sou o que não sou (all that I am I am not).
Podia ter sido talvez um bom corredor de distância: correr até morrer era a euforia da minha infância.
O medo do inferno torceu as raízes gregas do meu psiquismo e só vi que as mãos prolongam a cabeça quando me perdera no egotismo.
Não creio contudo em myself.
Nem creio mais que possa revelar-me em other self.
Não soube buscar (em que céu?) o peso leve dos anjos e da divina medida.
Sou o próprio síndico de minha massa falida.
Não amei com suficiência o espaço e a cor.
Comi muita terra antes de abrir-me à flor.
Gosto dos peixes da Noruega, do caviar russo, das uvas de outra terra; meus amores pela minha são legião, mas vivem em guerra.
Fatigante é o ofício para quem oscila entre ferir e remir.
A onça montou em mim sem dizer aonde queria ir.
A burocracia e o barulho do mercado me exasperam num instante.
Decerto sou crucificado por ter amado mal meu semelhante.
Algum deus em mim persiste
mas não soube decidir entre a lua que vemos e a lua que existe.
Lobisomem, sou arrogante às sextas-feiras, menos quando é lua cheia.
Persistirá talvez também, ao rumor da tormenta, algum canto da sereia.
Deixei de subir ao que me faz falta, mas não por virtude: meu ouvido é fino e dói à menor mudança de altitude.
Não sei muito dos modernos e tenho receios da caverna de Platão: vivo num mundo de mentiras captadas pela minha televisão.
Jamais compreendi os estatutos da mente.
O mundo não é divertido, afortunadamente.
E mesmo o desengano talvez seja um engano.

Luiz Edmundo Germano Alvarenga - BLOG DO ALVARENGA

segunda-feira, 16 de março de 2009

Eulaema atleticana

Agora além do galo como símbolo, temos a laboriosa abelha Eulaema atleticana, sorry periferia.
Uma rara espécie de abelha, que vive na Mata Atlântica brasileira, foi descoberta pelo biólogo e fanático torcedor do Atlético-MG André Nemésio, pós-doutorando na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Trata-se de um inseto negro, com o abdome listrado em amarelo claro e recebe o nome de Eulaema atleticana, em homenagem ao clube mineiro. Pelas regras científicas, que são internacionais, o nome passa a valer quando publicado em revista especializada. Segundo o biólogo, o periódico Zootaxa, da Nova Zelândia, deve registrar a nova espécie em sua edição nesta terça-feira (17). Na descrição oficial da abelha, o autor explica aos cientistas de todo o mundo a origem do batismo (Foto: Divulgação/UFMG)
Notícia G1

Tonico & Tinoco Tristeza do Jeca

Para ouvir a música Tristeza do Jeca clique no título acima em vermelho.
Caipira Picando Fumo - 1893 - Almeida Jr. - Pinacoteca do Estado - SP
A música Tristeza do Jeca foi votada e escolhida como a melhor música caipira de todos os tempos, 90 anos após seu lançamento.
Tristeza do Jeca foi inspirada no livro Jeca Tatu de Monteiro Lobato, lançado no memso ano. Foi tocada e cantada pela primeira vez no dia 24 de maio de 1918 pelo seu compositor Angelino de Oliveira.
Angelino foi escrivão de polícia, vendia imóveis, dentista e liderava o Trio Viguipi.
Tristeza do Jeca foi gravada por dezenas de artistas, mas a gravação feita por Tonico e Tinoco foi a mais votada na escolha da melhor música sertaneja de todos os tempos.

Tonico e Tinoco - 1945
A carreira musical dos irmãos Tonico (João Salvador Perez - São Manuel-SP, em 2 de março de 1917) e Tinoco (José Perez, - nascido em uma fazenda de Botucatu - SP, que hoje pertence ao município de Pratânia, em 19 de novembro de 1920) se iniciou na década de 1930, ainda adolescentes. Seu primeiro disco foi gravado em 1944, com o cateretê "Em Vez de Agradecer" (Furtado/J. Martins/Aimoré).
Algumas das canções mais populares da dupla são "Chico Mineiro" (Francisco Ribeiro e Tonico), "Chalana" (Mario Zan/Arlindo Pinto), "Moreninha Linda" (Tonico/Priminho/Maninho), "Mourão da Porteira" (Raul Torres/João Pacífico), "Tristeza do Jeca" (Angelino de Oliveira), "Boiada Cuiabana" (Raul Torres) e "Canta Moçada" (Tonico/Nhô Fio).
Tonico morreu em 1994. Tinoco prossegue em seu trabalho, agora ao lado de seu filho Tinoquinho. Tinoco completou 70 anos de carreira em 2006.

Vídeo, fotos e dados: YouTube, Wikipédia e http://www.widesoft.com.br/

Brasileiro Profissão Esperança

video

José Régio - José Maria dos Reis Pereira - Vila do Conde - Portugal (1901 - 1969)

Cântico Negro
"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...

A minha glória é esta:
Criar desumanidade!
Não acompanhar ninguém.
- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe

Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...

Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...

Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

Como, pois sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tectos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...

Deus e o Diabo é que me guiam, mais ninguém.
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
- Sei que não vou por aí!

Texto, fotos: Wikipédia, Universo,

domingo, 15 de março de 2009

Mais notícias e ecos do Colégio Evangélico de Alto jequitibá

Para relembrar, foto tirada em Brasilia - 1964, nela estão: Turista, Lourenço, Aylê, Mário Pereira, Amilcar Ziller, não sei o nome, quem souber favor informar e Jessé (também não conto o apelido, vai brigar comigo). Naquela época os ex-alunos já procuravam se rever e manter os laços fraternos e fortes que nos ligaram em jequitibá.
Aqui temos o Sr. Amilcar Ziller, pai do Anibal e Amilcar Ziller, não vou contar os apelidos, prefiro manter a amizade, fazendo uma "preleção" para os ajuizados da turma de Belo Horizonte. Os nomes estão na foto, essa é uma das raras fotos que tenho de minha passagem por Jequitibá a "Cidade sem pecado".
Abaixo fotos do encontro de ex-alunos em Belo Horizonte. O Luiz Antonio está coordenando e realizando visitas a cidades para encontrar e reunir ex-alunos visando manter acesa a chama e motivar a todos a comparecerem em Presidente soares - JEQUITIBÁ nas comemorações do 7 de setembro. Nessa data deverão ocorrer eventos para comemoração do centenário da fundação do Colégio Evangélico.




Na foto acima estão o Mário Pereira, não adianta insistirem, não vou contar o apelido que ele tinha no colégio e a Dênia, esposa do Mário e minha comadre. Grandes entusiastas dos encontros de ex-alunos em Jequitibá ou onde for.
ÚLTIMAS MENSAGENS COM INFORMAÇÕES SOBRE OS ENCONTROS REALIZADOS EM BRASILIA, BELO HORIZONTE E OS QUE SE REALIZARÃO NO RIO, DIA 28 DE MARÇO E NO DIA 7 DE SETEMBRO EM JEQUITIBÁ:

ESTAMOS SABENDO QUE A MOLECADA DE VITÓRIA E. S. VIRÁ
AO ENCONTRO DO DIA 28 / 03 NO RESTAURANTE QUINTA DA BOA VISTA
AS 13.00 HRS,VCS VÃO INVADIR A QUINTA,,,,,,TOMARA.
MANDE NOTÍCIAS TARZÃ;;;;;;;;;;;;;;
ABRAÇOS
HELIO ZEITUNE
-----------------------------------------------------------------
Olá parceiro, boa tarde!
Estamos trabalhando - fomos à Brasilia, onde encontramos o Aylê, Gideon, Emilio Marrara, Paulo Teixeira e Arnaldo. Estivemos em BH e encontramos: Godoy, Roney Oliveira, Marcius José, Elpidio (boiadeiro), Vera/Célia Bretas, Carlos Magno, Porfirio, Mário/Dênia Pereira, Juarez Távora (bode). Estou anexando as fotos. Estou trabalhando com a relação de nomes do livro do RATINHO e já levantei muitos endereços. Arnaldo telefonou-me que estaria no Rio, esta semana. Estarei aí para o encontro, se Deus quizer!
Forte abraço - Luiz Antônio -(TARZAN)
O bicho vai pegar !!!

sábado, 14 de março de 2009

Ex- alunos do Colégio Evangélico de Alto Jequitibá

TURMA DE 1963
Na parte de cima da esquerda para a direita lembro-me do Adenir Balmant, do quarto ex-aluno lembro-me do rosto mas não do nome, ele trabalhava como servente do refeitório, se estiver errado me corrijam.
Em pé: lembro-me do Professor Jabes Werner, Carlota, Verônica( Nenônica), Ferrúcio Machado(Nenúcio Nachado), Mário Pereira (O apelido dele não conto nem sob tortura), Guaraci.
Agachados: Lauro, e do terceiro Lindsay (bom companheiro na época). Dos demais infelizmente não me recordo dos nomes.

Dessa turma de formandos de 63, o Mário lançou com um grupo de alunos o jornal O Clarim que era da turma que se opunha a linha editorial do Flâmula que tinha o Guaraci como seu diretor.

Nessa foto tirada em 1981, durante a festa de 7 de setembro em Presidente Soares, para nós , sempre Jequitibá, estão se confraternizando Agildo Campos, Hélio Zeitune e Adir Arantes.

Este ano o 7 se setembro promete ser agitado, pelo que se está organizando deverá ter recorde de audiência em Jequitibá.

Teve reuniões em Brasilia, Belo Horizonte e dia 28 de março será a vez da turma do Rio se reunir pela segunda vez consecutiva, são esperadas presenças de outros estados.

Como já divulgado, o encontro será no Restaurante da Quinta da Boa Vista, onde fica o ZOO do Rio. Lá estarão reunidos mais de 100 FERAS e seus familiares.

Amazing Grace - IL DIVO

Recebi do amigo Amilcar Ziller e compartilho essa bela interpretação de Amazing Grace do grupo Il Divo.

Como todos sabem, Amazing Grace é um conhecido hino cristão, considerado um dos favoritos da América.
Seu autor, o inglês John Newton, teve breve passagem pela Marinha Real antes de se tornar comandante de navio negreiro.
Converteu-se após sobreviver a uma terrível tempestade durante uma de suas viagens, quando sentiu a graça de Deus.
A experiência serviu de inspiração para a criação de "Faith's Review and Expectation", um dos vários hinos que compôs, mais conhecido por sua primeira frase, Amazing Grace.

Cliquem no link abaixo e ouçam.

link.brightcove.com/services/player/bcpid271552717?bctid=1913313052

AMAZING GRACE
Amazing grace! How sweet the sound,That sav’d a wretch like me!I once was lost, but now am found,Was blind, but now I see.
’Twas grace that taught my heart to fear,And grace my fears reliev’d;How precious did that grace appear,The hour I first believ’d!
Thro’ many dangers, toils and snares,I have already come;’Tis grace has brought me safe thus far,And grace will lead me home.
When we’ve been there ten thousand years,Bright shining like the sun,We've no less days to sing God’s praiseThan when we first begun.
Texto e vídeo enviados pelo AMILCAR

sexta-feira, 13 de março de 2009

Sorria, é tão fácil, lembra de quando você era criança?

video

Quando você era pequeno sorria fácil por qualquer coisa, não tinha medo, era destemido, subia, caía, subia novamente, tentava e tentava até conseguir seu objetivo. Medo e impossível você nem sabia falar ou o que poderia significar

E tal qual essa criança, você sorria e se alegrava com brincadeiras simples, nada de eletrônicos e de brinquedos complicados. Bastava ter alguém que te dedicasse atenção, carinho ou de um lugar onde você pudesse exercitar a sua fantasia, sem nãos, não pode, vai cair.

E hoje, você já "teve tempo " de brincar com a sua criança? Você já se permitiu ser criança junto com a sua? Não? Falta de tempo? Sei...

Então faça o seguinte dê uma chance a você e a seu filho (a, os, as), a você e a sua mulher, é, ela também gosta de sorrir, de brincar, de ser feliz, tal qual você gosta. Aproveite que vem aí mais um fim de semana e dedique-se a ser feliz e a fazer a sua família feliz. Tempo? Saia de frente da televisão, desligue o computador de trabalho, o Ipod, o Black Berry.

Sente no chão e vá "rasgar papel" com a sua família. Sorria, ou melhor, dê muitas gargalhadas!!!

Essa dica é boa para pais, mães, tios e avós. As crianças antecipadamente agradecem.

Golfinhos brincando com bolhas de ar

video
Recebi esse vídeo já há algum tempo e não me lembro que me enviou. Guardei-o para postar, pois achei uma das coisa mais incríveis e lindas ver os golfinhos da Flórida fazendo e brincando com bolhas de ar.
Há alguns meses os tratadores dos golfinhos do Sea World perceberam que os golfinhos criaram uma nova diversão. Eles vão a superfície e quando mergulham expelem ar pelo orifício que usam para respirar e formam bolhas em forma de círculos. Vejam no vídeo como eles mordem as bolhas para formar outros tamanhos, fazem-nas girar e quanto mais fundo mais tempo elas duram.
O Sea World fica na cidade de Orlando, na Flórida.

quinta-feira, 12 de março de 2009

Dia de DLG

Li dias atrás no BLOG da Chefe Carla Pernambuco do Restaurante Carlota de Sampa, sobre aproveitar melhor os produtos, inclusive como evitar desperdícios cozinhando com as sobras das refeições anteriores e outras idéias que caem bem para o momento atual, e para sempre, ou seja, vamos comer bem, usar produtos de qualidade, mas nada de jogar fora coisas, só porque você pode comprar outra nova no dia seguinte.
Aqui em casa, por exemplo, na cozinha nada se perde, tudo se transforma.
É o que chamamos eu e minha amada de DLG - DIA DE LIMPAR A GELADEIRA.
Tenho desenvolvido com criatividade algumas refeições que ficam saborosas e coloridas.
Vou para a cozinha, abro a geladeira, retiro todos os ingredientes e sobras de refeições, coloco sobre a bancada e aí baixa o "Espírito do Dr. Mundico", e os pratos vão acontecendo.

Vejam pelas fotos abaixo como ocorre a minha transformação em "Dr. Mundico".



Vamos lá, experimente, tente, mesmo que no principio as primeiras gemas dos ovos fiquem estouradas. Você consegue.
Fotos: Juliana - minha filha

Nossos comerciais, por favor!

Até que enfim, comercial da "Água Negra do Imperialismo" de excelente qualidade

video

Video enviado pela amiga ARGÉLIA, que possui várias virtudes, dentre elas ser a eterna musa do Dr. Simão, mãe da Fernanda e Vózona coruja da Laurinha.

terça-feira, 10 de março de 2009

Aqui Jazz, para quem é vivo - Dinah Washington - An Affair to Remember (Cary Grant & Deborah Kerr) Clique aqui e ouça

A segunda postagem do Aqui Jazz, para quem é vivo vamos apresentar alguns fatos e músicas da EXPLOSIVA DINAMITE WASHINGTON ou simplesmente Dinah Washington. A Rainha do Blues, fantástica cantora que teve sua vida cortada aos 39 anos, depois de muitos sucessos, maridos, álcool e drogas.
Como Billie Holiday, veio de um meio pobre e iluminada para cantar divinamente. Ambas deixaram uma discografia com sucessos inesquecíveis.
Ouçam abaixo Dinah Washington interpretando alguns de seus sucessos que foram muitos:
Secret love, The heart of mine, Such a night, September in rain, Come rain or come shine, Call me irresponsible, Stormy Weather, Where are you, One more chance, Cry me a river, Bkue Skies, All of me, Blue Gardenia, Salty papa blues, Smoke gets in your eyes, Unforgettable, Manhattan e tantas outras.
Curtam, ouçam, dancem, relembrem, conheçam.
Bom proveito!



Dinah Washington foi a maior cantora de blues dos tempos modernos, cantou sempre com entrega total, tinha um sorriso encantador , mas de temperamento pesado. Campeã de glamour e muito sofisticada, usava peles, jóias e modelos exclusivos. A rainha do Blues.

Dinah Washington- All Of Me (Newport Jazz Festival 1958)

CANTORA, PIANISTA E DEVORADORA DE HOMENS
Para ouvir All of Me clique no título em vermelho

"Dinamite" Washington, foi uma mulher explosiva, na base do vai ou racha. De temperamento impulsivo durante o seus 39 anos de vida se dedicou a colecionar sucessos, ganhar dinheiro, gastar em jóias, carros, peles, bebida, drogas e homens. Teve sete maridos e casou duas vezes com um deles.

Tinha um humor imprevisível e era explosiva como o seu apelido "DINAMITE". Certa vez foi cantar no Alabama no mesmo local onde o Nat King Cole havia sido agredido por um racista, entrou no palco elegantemente vestida e com um revólver na cintura disposta a usá-lo. Em outra excursão, cantando em um circo, percebeu que um grupo de brancos queria por fogo no local, saiu e os enfrentou desafiando-os com a mão na cintura e aos berros, venceu a parada.

Nos início dos anos 60, teve com a pianista Patti Brown uma história incrível. Contou Patti que recebeu um "telefonema de Dinah para trabalhar com ela e disse-me: ´Ouve Puta!´ Eu reconheci a sua voz e desliguei. Telefonou de novo e então disse: ´Sou Dinah Washington, a Rainha do Blues´. Ela sempre se apresentava assim.

Durante o show pediu-me para tocar uma música. Dinah estava numa extremidade do palco e o trio no outro lado e não deu para ouvior o que ela falou. Diss-lhe: "Desculpe, Miss Washington", e ela respondeu:´Toca essa merda , puta´.

Eu respondi: ´Eu ainda me considero uma senhora´. Levantei-me, pedi desculpas ao público que ouvia tudo e disse-lhe: ´Toca, puta. Segundo consta, você é pianista.´ Assim ela tocou e eu cantei. O público achou que tudo estava combinado".

Informações extraidas da coleção OS GRANDES DO JAZZ - EDICIONES DEL PRADO - MADRI

Stormy Weather by Dinah Washington

Para ouvir Stormy Weather clique no título em vermelho acima


DINAH WASHINGTON
Dinah Washington, pseudônimo de Ruth Lee Jones (Tuscaloosa, Alabama, EUA, 29 de agosto de 1924 - 14 de dezembro de 1963), americana, cantora de jazz, blues e música religiosa.Os dois títulos recebidos por Dinah Washington, “Rainha do blues” e “Rainha das jukeboxes”, dão a idéia de seu sucesso artístico e de vendas. Dinah foi uma das cantoras mais importantes dos anos 40 e 50. Nascida Ruth Lee Jones no interior do Alabama, em uma família de baixa renda, mudou-se para Chicago com a família aos quatro anos. Teve uma infância solitária. Seu pai era um inveterado apreciador de cassinos, e portanto, raramente estava em casa; sua mãe passava os dias na rua atrás do dinheiro para sustentar Dinah, suas irmãs e pagar as freqüentes dívidas do marido. Sozinhas em casa, as meninas começaram a se refugiar na igreja, onde passavam as tardes. Dinah tocava piano, assim como sua mãe, e todas cantavam no coral.Antes da adolescência, Dinah começou a fazer sucesso nas redondezas do bairro onde vivia, e logo tocava piano e cantava gospel por toda Chicago, até vencer um concurso de calouros cantando blues. O concurso lhe rendeu um convite para participar do conjunto vocal Sarah Martin Singers, com quem cairia na estrada dias antes de completar doze anos. Aos quinze anos, diante das proibições de sua mãe, começou a fugir pela janela de seu quarto para cantar à noite em bares e clubes, onde também começou desenvolver seu gosto pela bebida.Apesar da pouca idade, Dinah tinha uma tessitura incrível, que era complementada por sua impressionante maturidade musical. Seu fantásico senso de fraseado, tonalidade e ataque fizeram com que o bandleader Lionel Hampton a contratasse imediatamente quando a viu cantar no ano de 1943. Foi nessa época que mudou seu nome de Ruth Lee Jones (nomes comuns nos EUA) para o mais pomposo Dinah Washington. Depois do debut com o bandleader, Dinah Washington conquistou prestígio pleno, gravando, apresentando-se e vendendo muito até sua morte.Nos três anos que passou junto a banda de Hampton, assinou contrato com a gravadora Mercury, onde rapidamente lançou seus primeiros sucessos como “I told you so”. Gravou diversos estilos de música, um de seus grandes sucessos foi a canção do astro country Hank Williams Senior “Cold Cold Heart”, só tendo restrições quanto a gravar gospel, pois dizia que não gostava de misturar assuntos espirituais com profanos.Seus discos lhe renderam bastante dinheiro, porém nunca o suficiente para seu dispendioso estilo de vida. Dinah era obsecada com a idéia de dar para sua filha uma infância luxuosa, diferente da que tivera. Isso a levou a gravar em 1959 o hit pop “What a Difference a Day Made” com intenções meramente comerciais. Dinah sempre tendeu para o exagero. Foi casada sete vezes, comia e bebia muito e adorava torrar dinheiro comprando carros e jóias. No entanto, foi dificil conciliar sua vida desregrada, a bebida e a gula com a vaidade. Morreu em um hotel, aos 39 anos de idade, após ingerir inibidores de apetite com bebida alcoólica.Apesar de todo o sucesso que gozou em vida, foi praticamente esquecida nas década seguintes, só sendo resgatada recentemente, quando entrou para diferentes Halls of Fame (de jazz, rock, blues) e teve seu discos relançados em CD. Em 1993 o serviço postal norte-americano lançou um selo em sua homenagem.

Editado por JonesRocha em Jul 18 2007, 14h33 - Foto Internet

Dinah Washington / What A Diff'rence A Day Makes

DINAH WASHINGTON
Essa música está grafada em duas formas distintas com o final MAKES ou MADE, dependendo do livro, disco ou cd.
Mas o que importa é que é uma bela música que fez e faz ainda muitos românticos a ouvirem enlaçados com a suas amadas.
Foi gravada em 1959, foi um estrondoso sucesso e mudou a carreira de Dinah que saltou da canção JAZZY para o POP.
E você? A quanto tempo não tira a sua amada para dançar? Tá esperando o que? Coloque uma Champanhe para gelar ou abra um vinho, se refresque, faça a barba, se perfume, ponha uma bela roupa, acenda velas ou deixe somente a luz do abajur acesa, apague as outras.
Abra a garrafa, se for champanhe, uma cereja ou um morango dentro da taça vai dar um efeito especial.
Clique no título em vermelho acima ou no link do You Tube, tire sua amada para dançar ao som de Dinah Washigton cantando a belíssima What a diff´rence a day makes ou made.
Diga a sua amada o quanto você a ama. O resto deixo por sua conta...
Foto WIKIPÉDIA - As cenas do clip são do filme O amante de Lady Chatterley

segunda-feira, 9 de março de 2009

William Shakespeare - Imagem inédita

William Shakespeare, 1564 - 1616

Shakespeare nasceu dia 23 de abril de 1564 em Strafford-upon-Avon na nglaterra.

A tela acima foi confeccionada em 1610, 6 anos antes do falecimento de Shakespeare aos 46 anos de idade. É considerado o único retrato de William Shakespeare.

Foto e dados colhidos na FOLHA ONLINE

domingo, 8 de março de 2009

Mineirices, UAI, sô!

Origem da palavra UAI
Na Revista do Correio, do jornal Correio Braziliense, de 18/01/2009, Marcio Cotrim publicou resposta a um pedido de leitor sobre a origem da expressão popular dos mineiros UAI:
"Segundo o odontólogo Dr. Silvio Carneiro e a professora Dorália Galesso, foi o presidente Juscelino Kubitschek que os incentivou a lhe pesquisar a origem.
Depois de exaustiva busca nos anais da Arquidiocese de Diamantina e em antigos arquivos do Estado de Minas Gerais, Dorália encontrou explicação provavelmente confiável.
Os Inconfidentes Mineiros, patriotas mas considerados subversivos pela Coroa Portuguesa, comunicavam-se através de senhas, para se protegerem da polícia lusitana.
Como conspiravam em porões e sendo quase todos de origem maçônica, recebiam os companheiros com as três batidas clássicas da Maçonaria nas portas dos esconderijos.
Lá de dentro, perguntavam: quem é?, e os de fora respondiam: UAI - as iniciais de União, Amor e Independência. Só mediante o uso dessa senha a porta seria aberta aos visitantes.
Conjurada a revolta, sobrou a senha, que acabou virando costume entre as gentes das Alterosas.
Os mineiros assumiram a simpática palavrinha e, a partir de então, a incorporaram ao vocabulário cotidiano, quase tão indispensável como tutu e trem.
Uai, sô..."

Texto enviado pelo Luiz Edmundo Germano Alvarenga - BLOG DO ALVARENGA
Foto BLOG JENIPAPONEWS - Postado por Netto de Deus

sábado, 7 de março de 2009

Olavo Bilac - Por estas noites

Enviado por Pedro Lago, do Corujão da Poesia -
6.3.2009 23h30m
Poema da noite (Semana Olavo Bilac)

Por estas noites - Olavo Bilac

Por estas noites frias e brumosas
É que melhor se pode amar, querida!
Nem uma estrela pálida, perdida
Entre a névoa, abre as pálpebras medrosas
Mas um perfume cálido de rosas
Corre a face da terra adormecida ...
E a névoa cresce, e, em grupos repartida,
Enche os ares de sombras vaporosas:
Sombras errantes, corpos nus, ardentes
Carnes lascivas ... um rumor vibrante
De atritos longos e de beijos quentes ...
E os céus se estendem, palpitando, cheios
Da tépida brancura fulgurante
De um turbilhão de braços e de seios.

Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac (Rio de Janeiro, 16 de dezembro de 1865 — Rio de Janeiro, 28 de dezembro de 1918) foi jornalista e poeta brasileiro e membro fundador da Academia Brasileira de Letras. Criou a cadeira 15, cujo patrono é Gonçalves Dias. Fez faculdade de Medicina até o quinto ano e apesar do grande talento, largou o curso e foi estudar Direito em São Paulo, mas foi no Rio de Janeiro que ingressou com muito êxito na imprensa literária. Considerado o maior poeta parnasiano brasileiro e também autor do Hino à Bandeira Nacional. Leia mais sobre Olavo Bilac.

Poema postado no BLOG DO NOBLAT
Foto BLOG DO PORTOCROFT

A importância da maçã

Tudo começou quando Adão e Eva foram despedidos por justa causa da Heaven Co. , só porque comeram uma única maçã da plantação de mais de 10.000 macieiras que cuidavam.

O pior é que inventaram a história da cobra. Como a cobra poderia ter induzido ao casal a comer a maçã?

E se era para ser um caso de sedução, porque a cobra não usou uma banana? Não havia sido ainda plantado uma bananeira?

Cobra não fala, segundo, falar com uma maçã na boca é como assobiar e chupar cana ao mesmo tempo, já tentou fazer?

Estátua de Guilherme Tell - Altdorf - Suiça

Depois teve o caso do Guilherme Tell, que enrolou todo mundo. Guilherme era zarolho e tinha que fazer exame de vista para poder tirar a carteira de cocheiro e ser contratado para ser o cocheiro real. Então o que ele fez?

Pegou uma maçã atravessou-a com uma flecha e em seguida fincou a flecha numa árvore numa altura acima da cabeça de seu filho Jr.

Nesse momento chegaram os examinadores e viram o Guilherme a uns 10 metros de distância e com o arco em posição de tiro. Ohhhh! exclamaram, que mira, que precisão, que visão.

Guilherme foi aprovado no exame de vista imediatamente, foi contratado pelo rei e trabalhou feliz até se aposentar.

Macieira de onde não caiu a maçã

Quando Isaac Newton, estava fazendo a sesta, preguiçosamente escarrapachado debaixo de uma macieira, quando , pimba! Levou uma maçãzada no cocuruto.
Dizem, que nesse momento ele pensou e formulou a teoria da gravidade. Concordo, mas antes de pensar e formulara a teoria, com certeza ele xingou uns bons palavrões.
Pergunto, quem consegue pensar alguma coisa quando dá uma topada, bate a canela numa quina, bate com o martelo no dedo ou bate a cabeça num poste. Solta é um sonoro palavrão, o que aliás é a melhor coisa para aliviar a dor, sem xingar a dor é mais intensa e demora mais a passar.


Temos a bruxa que envenenou a maçã e deu para a Branca de Neve. Na verdade a maçã não estava envenenada, continha entorpecente por isso ela acordou depois de um tempo, com uma baita larica. Se fosse veneno Branquinha teria batido as botas. Só não entendo como o golpe aplicado, hoje em dia, em que as pessoas são dopadas com algo na bebida e depois roubadas, enquanto estão apagadas, chama-se "Boa noite Cinderela". Na verdade deveria ser "Boa noite Branca de Neve" em homenagem a primeira personagem infantil a ser dopada.

Como no Brasil tudo termina em samba ou pizza, como sempre, fizeram uma marchinha de carnaval

História da Maçã (marcha/carnaval)
Composição: Haroldo Lobo e Mílton de Oliveira - 1954

Gravação de Jorge Veiga (Alô, alô aviadores do Brasil, aqui fala Jorge Veiga, lembram?)

A história da maçã
É pura fantasia
Maçã igual aquela
O Papai também comia

Eu li num almanaque
Que num dia, de manhã
Adão estava com fome
E comeu a tal maçã

Comeu com casca e tudo
Não deixando nem semente
Depois botou a culpa
Na pobre da serpente

História da BIG APPLE

As grandes cidades se transformam todos os dias. Antigos prédios vão abaixo, ruas são abertas, novas perspectivas desenham traçados diversos no mapa urbano. Mas algumas metrópoles do mundo fazem dessa revolução permanente uma verdadeira marca registrada. É o caso de Nova York ou, mais especificamente, da ilha de Manhattan, o coração financeiro e cultural da grande cidade americana. O projeto Manhattan Transformations pretende justamente recontar a história das incríveis mudanças da Big Apple através dos contornos diferentes do skyline no decorrer dos tempos e das alterações no traçado urbano. Impecável graficamente, a página consegue a proeza (rara) de educar e divertir.

Clique no link e veja as mudanças da Big Apple: www.skyscraper.org/timeformations/intro.html

MAÇÃ TECNOLÓGICA
A primeira logomarca da Apple Inc. foi desenhada pelo Steve Jobs e Ronald Wayne, que não é irmão do John. Vejam que ela mostra o Newton embaixo da macieira.
O segundo logo foi criado em 1976 pelo designer Rob Janoff, que era uma maçã com as cores do arco - íris mordida.
O logo atual foi criado em 1999, a maçã mordida cromada.

TORTA DE MAÇÃ DA VOVÓ DONALDA
INGREDIENTES:
MASSA:
250g de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de açúcar
1 tablete de margarina (100g)
1 ovo
1 gema (guardar a clara)
1 colher (chá) de fermento
1 colher (chá) de raspas de limão
1 colher (sopa) de suco de limão

RECHEIO:
6 maçãs
4 colheres (sopa) de açúcar
Suco de ½ limão

CREME:
500ml de leite
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de baunilha
3 colheres (Sopa, rasas) de maisena
3 gemas
Suco das maçãs cozidas

MODO DE PREPARAR:
MASSA:
Misturar os ingredientes ate formar uma massa macia. Se necessário salpicar um pouco mais de farinha.

RECHEIO:
Descascar as maçãs, corta-las em lâminas e levar ao fogo com o açúcar e o limão. No inicio, tampar a panela para soltar liquido. Depois, deixe ferver ate vidrar com a panela aberta.
Colocar em uma peneira ou escorredor para soltar o liquido. Reserve.

CREME:
Bater no liquidificador os ingredientes do creme e levar ao fogo brando, mexendo sempre ate obter um mingau. Acrescentar o liquido que escorreu das maçãs. Deixe esfriar.

MONTAGEM:
Separar 2/3 da massa (reserve o restante) e abrir com rolo em superfície enfarinhada, de forma a cobrir a assadeira até as bordas.
Se necessário, cobrir a assadeira por partes e unir com os dedos.
Despejar o creme frio na massa, cobrir com as maçãs e enfeitar com tirinhas da massa reservada. Pincelar com clara e salpicar açúcar cristal ou comum.
Levar ao forno moderado (180g) por uma hora.
Deixe amornar e sirva com sorvete de creme ou depois de fria, manter na geladeira.


Poderiamos ainda falar da Maçã do amor e da "Mulher Maçã", sim já existe, é uma funkeira de 25 anos, está bem na moda mulheres com nome de frutas, "Mulher Melância", de plantas "Mulher Samambaia" , breve teremos a "Mulher Alface Hidropônico", terá a vantagem de gastar pouca água , mas no verão , sei não, sei não...

Fotos, gravuras, dados: Wikipédia e outros sítos da internet

TV educativa?

Já repararam com as novelas educam?

Todo rico de novela chega em casa e sem lavar as mãos, pega um copo, serve uma dose uísque, pega as pedras de gelo e põe no copo.
Será que todo rico bebe todos os dias quando entra em casa?
Pelo menos o nível de serviço na casa é muito bom, nunca que o porta gelo está vazio.

E a moçada que chega em casa e senta com os pés em cima do sofá geralmente branco.
Será que filho de rico é folgado assim mesmo? Mete as patas para sujar o sofá?

Porque as camas estão sempre sob as janelas? Aí, vale tanto para casa de rico, de pobre, hotel, fazenda, casa de praia, na capital, interior ou exterior.

E o tal de entrar e sair sem usar a chave, sai fecha a porta e a chave fica dependurada do lado de dentro. Chega a porta está sempre destrancada e fica assim. Atendem a porta sem olhar no olho mágico, aliás deve custar muito caro, pois raramente uma porta possui um.
Incrivel é como os edificios são sem segurança, não adiante ter porteiro, qualquer um entra e sai e bate na sua porta.
Ô inveja de morar numa cidade segura dessa, sô!

Beijar ao acordar, isso é que é amor maior, beijar com o maior bafão de múmia. Em compensação as mulheres acordam sempre lindas, cabelos penteados, maquiadas, sem olheiras ou olhos inchados, rosto lisinho sem amarrotado do travesseiro, imagino que elas já acordam com os dentes escovados, por isso beijam tanto ao acordar. Pode ser também que estejam fazendo merchandising de um novo creme dental super protetor com açaõ extra prolongada.

E as quantidades de luzes acesas? Ainda bem que os personagens não pagam as contas de luz e telefone.

Chuveiro, já prestaram atenção que pode ser uma mega mansão ou apezinho de suburbio, como sai um mijinho de água, sem pressão nenhuma?

Táxi, esse é o verdadeiro milagre. Com chuva ou sol, de dia ou de noite, é só sair à rua e zás, o táxi encosta na hora. Que cidade é essa? Que país é esse? Ô inveja!!!

Personagem estressado, sempre ganha uma caneca de café ou de chá bem quente e o que acontece? Todos os atores e atrizes fazem a mesma cena, seguram a caneca quente com as duas mãos.
E as formas que saem do forno? Seguram com um pano e no momento seguinte já pegam com as mãos desprotegidas. Êta turminha da mão resistente, sô.

Refeição em casa de pobre, dá gosto ver, todos seguram o "gaufo" ou a colher toscamente e falam todos de boca cheia. Tô cansado de ver gente de classe média e até mais bem posicionados com uma total falta de classe para comer, mas a TV insiste de mostrar que pobre é mal educado.

E por último, o "COBERTOR MILAGROSO". Sempre após uma cena de violência ou de acidente, os sobreviventes estropiados, se abraçam e se beijam, enrolados num cobertor, nenhuma cara de dor, de pavor, nada. O cobertor sara tudo, a cena fica mais pungente com a famosa caneca de café fumegante presa entre as duas mãos e o cobertorzinho nas costas.

Isso é que é cultura e diversão. As novelas são os melhores programas humorísticos da TV.
E a meleca é a mesma em qualquer lugar que você ligar uma TV.

Mini Moranga Recheada com carne de sol

Lave a mini moranga, enxugue. Faça uma tampa em torno do cabo (reserve as tampas), retire as sementes com uma colher de sobremesa. Esfregue azeite por dentro e por fora. Passe sal por dentro e por fora, até sentir o sal na mão. Reserve.
Pique um tomate maduro, retire as sementes.
Cozinhe e desfie 300 g de carne de sol, já ferventada no leite para tirar o sal
Rale meia cebola pequena.
Ponha a mini moranga para assar em fogo pré-aquecido no máximo, até que ela fique macia, experimente com um garfo pequeno, o garfo deve penetrar facilmente na casca.

Enquanto isso refogue a carne de sol com a cebola e um pouco de tempero de alho e sal.
Adicione o tomate picado e 1 colher de requeijão de copo ou de creme de leite fresco. Misture bem. veja se precisa apurar o sal com muito cuidado.Recheie a mini moranga pré-assada, coloque uma fatia de mussarela no fundo da moranga, em seguida a carne e cubra com mais uma fatia de mussarela.

Coloque as tampas e leve novamente ao forno, por cerca de 25 minutos ou até a mussarela derreter.

Sirva quente como entrada ou acompanhado de arroz branco.

Dicas: O recheio pode ser de camarão, frango desfiado, carne seca. Pode-se fazer com a mini Pumpkin, eu prefiro. As quantidades acima recheiam duas mini morangas.