quinta-feira, 14 de junho de 2018

Pinguela a maldição do vice - Aylê - Salassié Filgueiras Quintão


Ontem , tive a grata surpresa, mais uma, proporcionada pelo AYLÊ - SALASSIÉ, JORNALISTA, PROFESSOR, DOUTOR EM HISTÓRIA CULTURAL, EX-ALUNO DO COLÉGIO EVANGÉLICO DE ALTO JEQUITIBÁ (onde estudamos), mineiro de Pirauba e ESPECIAL AMIGO, com a chegada pelos Correios de seu novo parto, conforme citado em sua dedicatória no seu novo livro: PINGUELA  a maldição do vice (Editora Otimismo - Brasília), que vou ler com muita atenção e carinho.

Ao abrir o livro me deparo com uma deferência especial, tendo meu nome sido citado em seus agradecimentos, juntamente com outros colegas e amigos.

Só pode ser ter sido pela maneira como sempre me distinguiu, enviando-me seus textos e livros de extrema qualidade, os quais sempre compartilho e cito em minhas comunicações com meus contatos e amigos, principalmente, esse o real motivo, creio eu, pela sua postura em relação a seus amigos, dentre os quais eu tenho prazer e privilégio de me incluir e de poder usufruir de sua capacidade intelectual, historiador e humanista de primeira linha. 

Muito obrigado, mais uma vez, por essa especial atenção. Vida longa e muitos partos mais.

Recomendo o livro, quem gosta de ler sobre a história e estórias do Brasil, terá nele uma abordagem sobre os vice presidentes e os períodos de suas participações no embroglio político em momentos distintos entre nova república, ditadura, governos civis e militares, democracia, liberdades e repressões.

Aquisição pela Editora Otimismo - (061) 3386- 459 ou nas melhores casas do ramo em Brasília.
 


segunda-feira, 11 de junho de 2018

Poeminha de louvor ao "strip-tease" secular - Millôr Fernandes

Beach Fashions - Nina Leen 1950 (INTERNET)




Eu sou do tempo em que a mulher
Mostrar o tornozelo
Era um apelo!
Depois, já rapazinho, vi as primeiras pernas
De mulher
Sem saia;
Mas foi na praia!

A moda avança
A saia sobe mais
Mostra os joelhos
Infernais!

As fazendas
Com os anos
Se fazem mais leves
E surgem figurinhas
Em roupas transparentes
Pelas ruas:
Quase nuas.
E a mania do esporte
Trouxe o short.
O short amigo
Que trouxe consigo
O maiô de duas peças.
E logo, de audácia em audácia,
A natureza ganhando terreno
Sugeriu o biquíni,
O maiô de pequeno ficando mais pequeno
Não se sabendo mais
Até onde um corpo branco
Pode ficar moreno.

Deus,
A graça é imerecida,
Mas dai-me ainda
Uns aninhos de vida!


segunda-feira, 4 de junho de 2018

terça-feira, 24 de abril de 2018

Um Bolero Qualquer - Irineu de Palmira (Irineu de Palmira/Lula Barbosa/Doroti Massola/Alvaro Gomes)



Um Bolero Qualquer

Eu não sei porque o amor 
Quando chega pra mim 
Chega pra machucar 
Chega pra confundir 
Chega pra devolver

Chega pra desvendar 
Uma parte de mim 

Pode ser que o amor 
Poesia se faz 
Com estrelas do céu 
Um pedaço de luz 
Esse brilho sem fim 
Que eu não sei bem porque 
Se afasta de mim 

Quisera entender o amor 
Quantas vezes tentei 
Procurar por você 
E me perdi na ilusão de achar 
A outra parte de mim 

Quem me vê nesse bar 
Numa mesa tão só 
Não entende a razão 
Esse lugar comum 
Lembra aquela mulher 
Que um desejo arrastou 
Pra um bolero qualquer 

Vídeo: YouTube  

Dica da amiga Silvana Barbara

How Deep is Your Love - Bee Gees - legendado



Vídeo: YouTube

Just The Way You Are - Barry White - com legendas



Vídeo: YouTube

Fellings - Vigon Bamy Jay



Vídeo: You Tube

Elvis Presley - My Way



Vídeo : You Tube

My Way - Frank Sinatra - com leganda em português





Vídeo - YouTube

quinta-feira, 1 de março de 2018

Tenho rugas - autor desconhecido


Tenho rugas...
Olhei para o espelho e descobri que tinha muitas rugas, em volta dos olhos, na boca, na testa.
Eu tenho rugas porque eu tive amigos... e nós rimos, mas tanto, até às lágrimas.
Eu tenho rugas porque conheci o amor que me fez espremer os olhos de alegria.
Eu tenho rugas porque tive filhos e fiquei preocupada com eles desde a concepção, mas também porque sorri para todas as suas novas descobertas e porque passei muitas noites em claro....
Tenho rugas porque eu também chorei...
Chorei pelas pessoas que amei e que foram embora, por pouco tempo ou para sempre, sabendo ou sem saber o porquê.
Tenho rugas porque passei horas sem dormir para observar os projetos que correram bem... mas também para cuidar a febre das crianças, para ler um livro ou fazer amor.
Vi lugares lindos, novos, que me fizeram abrir a boca espantada e ver os lugares antigos, antigos, que me fizeram chorar.
Dentro de cada sulco no meu rosto e no meu corpo, se esconde a minha história... se escondem as emoções que vivi... a minha beleza mais íntima.
E se apagar isso, apago a mim mesma.
Cada ruga é uma anedota da minha vida, uma batida do meu coração, o álbum de fotos das minhas memórias mais importantes!!!




Autor desconhecido 
Publicado no FB PROJETO 60 ANOS.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Como comprar, conservar e consumir o queijo minas - Elmer Almeida



Sabia que o queijo minas artesanal deve ser guardado em local fresco, arejado, longe do Sol e não pode sofrer mudanças drásticas de temperatura? 
saiba mais

Puro ou em receitas, ele tem sido cada vez mais valorizado no cenário gastronômico e conquistado mais espaço na mesa dos consumidores. Mas você sabe quais são os cuidados necessários na hora de comprar o famoso "Queijo Minas Artesanal de Leite Cru" e como conservá-lo adequadamente para manter suas propriedades?



O especialista em queijo Elmer Almeida, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), explica que o esse tipo de queijo mineiro tem a massa prensada não cozida e a casca natural. "Mesmo que cada tipo tenha suas peculiaridades, adquiridas no processo de produção e de acordo com cada região de fabricação, algumas dicas comuns são fundamentais na hora de comprar, conservar e degustar a iguaria, preservando toda a sua riqueza sensorial", comenta o especialista.

O técnico da Emater-MG dás dicas para quem é apaixonado pelos premiados queijos mineiros:

Como comprar

Por ser um alimento feito com leite cru, você deve conhecer bem a origem e o ambiente de produção. Escolha queijos das regiões caracterizadas como produtoras tradicionais e que sejam, preferencialmente, produzidos nas propriedades cadastradas junto aos órgãos de vigilância sanitária. Prefira queijos com maturação acima de 10 dias e que estejam com acabamento e cor uniformes. Evite queijos artesanais com excesso de olhaduras (buracos) internos. O bom queijo tem sua massa bem compacta e lisa. "Por ser um alimento vivo, evite comprar queijos que estejam embalados em plástico por muito tempo, pois isso altera o sabor. Sempre que puder, procure saber a história do queijo que está adquirindo", afirma Elmer Almeida.



Como consumir

Ao comprar seu queijo artesanal, retire da embalagem imediatamente e lave em água corrente. Se possível, passe nele uma escova. Seque com papel toalha e o coloque sobre uma tábua de madeira para que ele "respire" e continue seu processo enzimático de amadurecimento. O ideal é que o queijo fique pelo menos uma hora na temperatura ambiente antes de ser consumido. "Ficando em temperatura ambiente, com o tempo, ele vai adquirindo uma cor dourada e acentuando o sabor", diz o especialista. Para degustar, faça cortes finos, longitudinais, de casca a casca, de modo que a fatia tenha a representação do sabor total do queijo. "Queijos maturados acompanham bem uma cachaça, uma cerveja gelada ou um bom vinho tinto. Doces em compotas harmonizam bem com estes queijos maturados", sugere o técnico da Emater-MG.



Como conservar

A melhor maneira de conservar o queijo artesanal, segundo o especialista, é mantê-lo em local fresco, protegido da luz direta e que seja arejado. Evite local que tenha variação de temperatura. "Cuide para que a umidade não seja excessiva e nem muito baixa. Deste modo, evitará que apareçam mofos ou que o queijo resseque em demasia. O ideal é que se tenha uma tábua de madeira como suporte", afirma Elmer. A tampa deve ser telada de modo a favorecer a "respiração" do queijo e impedir o acesso de moscas ou outros insetos. Evite colocar seu queijo sobre pratos ou vidros. A cada dois dias o queijo deve ser virado para que a casca fique com a coloração homogênea. "Com o tempo, vai acontecendo a mudança de sabor e textura, mas, isto é natural e até desejável. Se quiser diminuir o processo de maturação, você pode levar o queijo artesanal para a geladeira, embalado em filme plástico ou mesmo em papel manteiga. Coloque-o no compartimento de legumes e verduras. Nunca congele queijo artesanal", esclarece. Ele Lembra que antes de consumir o produto que está frio, ele deve ser lavado e deixado num local fresco para voltar à temperatura ambiente.

(com Agência Sebrae)

Marinalva Soares/Emater-MG/Divulgação

FOTOS: RODRIGO DA LOJA DO ITAMAR - MERCADO CENTRAL DE BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS  - BRASIL.

DICA: QUER COMPRAR OS LEGÍTIMOS E MELHORES QUEIJOS MINAS, VÁ A LOJA DO ITAMAR NO MERCADO CENTRAL DE BH.

sábado, 30 de dezembro de 2017

O essencial - Mário de Andrade


 DESFOTOGRAFANDO - UNIVERSO ARTEIRO - ARTE DIGITAL 


“Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo
que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis,
para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa.
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, quero caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.

O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!"
*Mário de Andrade*

2018 vem aí !!!


sexta-feira, 10 de novembro de 2017

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Desfotografando

Todos os direitos protegidos - UNIVERSO
Bairro Buritis - Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
Clique na foto para ampliar

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Acordar - Ana Carolina

Foto: Internet - SUCKMYPIXXXEL


Acordar de manhã
Com a cama fria, vazia
O corpo quente de desejo
A alma lavada para enfrentar um novo dia
Acordar de manhã
Arrastar-se até o chuveiro
E só então despertar, com a água morna pelo corpo
Arrumar-se, da melhor forma possível,
Tomar o café às pressas para não perder a hora
E sair deixando no ar o perfume fresco...
Esse não é o acordar que eu desejo......
Essa é minha rotina.
O perfeito acordar seria
Aninhada em teus braços, nua
Quente, protegia, saciada
Ser convidada a despertar com afagos e beijos discretos
E uma ducha gostosa sem pressa
Como se fosse a primeira vez
E Fazer amor gostoso ali mesmo, no chuveiro
Para começar bem o dia
E gastar todas as energias 
Para, enfim, dormir novamente ao anoitecer
E novamente acordar de manhã... ao seu lado.
PESQUISA: INTERNET - POEMA E PINTURA

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Martín Chambi Jiménez ou simplesmente Martín Chambi - Gênio da fotografia em preto e branco

"Eu li que no Chile acredita-se que os índios não têm cultura, que eles são incivilizados, que eles são intelectualmente e artisticamente inferior quando comparado com os brancos e europeus. Mais eloquente do que a minha opinião, no entanto, são testemunhos gráficos. A minha esperança é que as testemunhas imparciais e objetivas examinará esta evidência. Eu sinto que eu sou um representante da minha raça; meu povo fala através das minhas fotografias."
Martín Chambi Jiménez - 1936

Martín Chambi Jiménez - nasceu em Puno, Perú, em 5 de novembro de 1891 e morreu em 13 de setembro de 1973, aos 81 anos de idade, na cidade de Cuzco, Perú. Foi um fotógrafo e pintor indígena nascido em Coaza, província de Carabaya, no norte do Lago Titicaca.

É considerado pioneiro da fotografia de retrato, reconhecido como poeta da luz e um mestre da luz em fotografia em preto e branco.
Foi um dos primeiros a fotografar Machu Pichu, retratou o cotidiano do povo peruano, sua etnia, tanto o povo mais simples, sobretudo os povos indígenas, como as personalidades, viajou e registrou belíssimas imagens das paisagens andinas e as ruínas históricas Incas. 

Seu pai mudou-se com a família para a província de Carabaya, onde foi trabalhar numa mina de ouro. Perto dali, na mina de Santo Domingo, Chambi deu os primeiros passos na arte da fotografia, decidindo assumi-la como profissão. Em 1908, foi para Arequipa, onde a fotografia era mais avançada.

Durante 9 anos Chambi trabalhou como aprendiz de Max T. Vargas.

Em 1917 montou seu primeiro estúdio em Sicuani. 

Publicou seus primeiros trabalhos em cartões postais em 1917.

Em 1923, abriu em Cuzco um novo estúdio, fotografando tanto os compatriotas indígenas quanto as figuras importantes da sociedade.

Auto retrato de Martín Chambi no alto de Carabaya

 Festa de carnaval em Cuzco -  Martín Chambi - 1930

Branco e preto na fotografia étnica - Martín Chambi

Cuzco - Poeta da Luz em Preto e Branco - Martín Chambi

Tive o primeiro contato com a obra de Martín Chambi, quando morava em São Paulo e o administrador do Flat, Sr. Walter, me deu duas folhas de um calendário com reprodução de fotos de Martín Chambi, estão abaixo.

Tenho guardado por cerca de 20 anos essas reproduções e serão emolduradas para decorar meu escritório multimídia, biblioteca, que ficará pronto em mais alguns dias.

Janelas de Machu Pichu - Martín Chambi 

Organista na Capela de Tinta, Sicuani, 1935 (Foto: Martín Chambi/Instituto)

Anos depois, vi algumas reproduções em um restaurante peruano, em Santiago do Chile. Fiquei fascinado e procurei saber mais sobre o talento desse artista.

Registrou em imagens a história e a cultura de seu povo, deixou um legado e um trabalho de grande técnica, sensibilidade, beleza e arte fotográfica.
Seu trabalho é sempre comparado com os de outros grandes mestres da fotografia.

Sem dúvidas, um dos maiores fotógrafos de todos os tempos.

 “A magia de Chambi pulsa em suas fotografias”, escreveu Mario Vargas Llosa. “A magia que o distingue de todos os fotógrafos com quem os críticos o tentam comparar, desde August Sander a Nadar, passando por Edward Weston, Ansel Adams, Irving Penn ou ainda Abraham Guillen”.

Resultado de imagem para Imagens de Martín Chambi

Recomendo conhecer mais sobre a obra desse gênio da fotografia: 

https://www.facebook.com/MartinChambi/
Wikipédia - Martín Chambi
http://martinchambi.org/es/blog/
http://martinchambi.org/es/

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Queijo minas artesanal - Como comprar, consumir e conservar


Sabia que o queijo minas artesanal deve ser guardado em local fresco, arejado, longe do Sol e não pode sofrer mudanças drásticas de temperatura?
saiba mais

Puro ou em receitas, ele tem sido cada vez mais valorizado no cenário gastronômico e conquistado mais espaço na mesa dos consumidores. Mas você sabe quais são os cuidados necessários na hora de comprar o famoso "Queijo Minas Artesanal de Leite Cru" e como conservá-lo adequadamente para manter suas propriedades?

O especialista em queijo Elmer Almeida, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), explica que o esse tipo de queijo mineiro tem a massa prensada não cozida e a casca natural. "Mesmo que cada tipo tenha suas peculiaridades, adquiridas no processo de produção e de acordo com cada região de fabricação, algumas dicas comuns são fundamentais na hora de comprar, conservar e degustar a iguaria, preservando toda a sua riqueza sensorial", comenta o especialista.

O técnico da Emater-MG dás dicas para quem é apaixonado pelos premiados queijos mineiros:

Como comprar

Por ser um alimento feito com leite cru, você deve conhecer bem a origem e o ambiente de produção. Escolha queijos das regiões caracterizadas como produtoras tradicionais e que sejam, preferencialmente, produzidos nas propriedades cadastradas junto aos órgãos de vigilância sanitária. Prefira queijos com maturação acima de 10 dias e que estejam com acabamento e cor uniformes. Evite queijos artesanais com excesso de olhaduras (buracos) internos. O bom queijo tem sua massa bem compacta e lisa. "Por ser um alimento vivo, evite comprar queijos que estejam embalados em plástico por muito tempo, pois isso altera o sabor. Sempre que puder, procure saber a história do queijo que está adquirindo", afirma Elmer Almeida.

Como consumir

Ao comprar seu queijo artesanal, retire da embalagem imediatamente e lave em água corrente. Se possível, passe nele uma escova. Seque com papel toalha e o coloque sobre uma tábua de madeira para que ele "respire" e continue seu processo enzimático de amadurecimento. O ideal é que o queijo fique pelo menos uma hora na temperatura ambiente antes de ser consumido. "Ficando em temperatura ambiente, com o tempo, ele vai adquirindo uma cor dourada e acentuando o sabor", diz o especialista. Para degustar, faça cortes finos, longitudinais, de casca a casca, de modo que a fatia tenha a representação do sabor total do queijo. "Queijos maturados acompanham bem uma cachaça, uma cerveja gelada ou um bom vinho tinto. Doces em compotas harmonizam bem com estes queijos maturados", sugere o técnico da Emater-MG.

Como conservar

A melhor maneira de conservar o queijo artesanal, segundo o especialista, é mantê-lo em local fresco, protegido da luz direta e que seja arejado. Evite local que tenha variação de temperatura. "Cuide para que a umidade não seja excessiva e nem muito baixa. Deste modo, evitará que apareçam mofos ou que o queijo resseque em demasia. O ideal é que se tenha uma tábua de madeira como suporte", afirma Elmer. A tampa deve ser telada de modo a favorecer a "respiração" do queijo e impedir o acesso de moscas ou outros insetos. Evite colocar seu queijo sobre pratos ou vidros. A cada dois dias o queijo deve ser virado para que a casca fique com a coloração homogênea. "Com o tempo, vai acontecendo a mudança de sabor e textura, mas, isto é natural e até desejável. Se quiser diminuir o processo de maturação, você pode levar o queijo artesanal para a geladeira, embalado em filme plástico ou mesmo em papel manteiga. Coloque-o no compartimento de legumes e verduras. Nunca congele queijo artesanal", esclarece. Ele Lembra que antes de consumir o produto que está frio, ele deve ser lavado e deixado num local fresco para voltar à temperatura ambiente.

Marinalva Soares/Emater/Divulgação - com Agência Sebrae



Hoje, os queijos minas artesanais estão recebendo prêmios em feiras e concursos na Europa devido as inovações nas técnicas de produção e principalmente de maturação.


No Mercado central de Belo Horizonte e especialmente na Loja do Itamar,
de grande tradição no Mercado Central, você encontra queijos com 60 dias ou mais de maturação em ambientes especialmente criados e mantidos sob controles, para que o queijo adquira características que o igualam aos melhores queijos do mundo.


Na Loja do Itamar, onde compro há mais de 20 anos meus queijos, doces de leite ou goiabada cascão, procure o Rodrigo. Ele te dará todas as sugestões e dicas sobre os melhores queijos minas artesanais. Uma degustaçãozinha sempre é possível.

DICA APRENDIDA NA ROÇA: Para que o queijo minas artesanal fique "meia cura", embrulhe-o em um pano de prato e deixe na geladeira na parte de baixo. Ficará com uma casca dourada e o interior macio e com um sabor especial.

Pesquisa: Internet - FOTOS: Rodrigo