sexta-feira, 15 de junho de 2012

Judeus Sefarditas Brasileiros

"A Kahal Zur Israel (Congregação Rochedo de Israel) foi a primeira sinagoga das Américas. Funcionou em Recife, Pernambuco, no período de dominío dos holandeses, de 1630 a 1657."

"Durante esse período emigraram para o Recife milhares de judeus serfaditas de origem portuguesa, refugiados nos Países Baixos, que vieram para a então colônia holandesa atraídos pela liberdade de culto religioso. Derrotados na Batalha dos Guararapes, muitas famílias judias retornaram para a Holanda a bordo do navio Valk. Outras foram para os estados Unidos, o desembarque ocorreu em Nova Amsterdã, atual Nova York, onde os judeus formaram a Congregação Shearit Israel, a primeira comunidade judaica da América do Norte."

E deu no que deu. Enquanto continuamos colonia portuguesa, lá em cima, no norte das Américas as coisas evoluiram de forma estupenda.

"Descendentes de Judeus no Brasil. Muitos brasileiros não conhecem sua verdadeira origem. Sabem apenas que o Brasil foi colonizado por portugueses, deduzindo que são descendentes de portugueses. O descobrimento do Brasil por Portugal ocorreu num período em que os judeus-portugueses sofriam atrocidades. Denominados Cristãos Novos, pelos católicos, após o batismo eram obrigados a mudar seus nomes. Os judeus sefarditas (Ibéricos) se encheram de esperanças com a descoberta do novo continente, comparando-o ao milagre do Mar vermelho. Em 1503, milhares de judeus portugueses vieram para o Brasil colonizar a nova terra. A partir da descoberta, todos os réus de crimes comuns eram deportados para o Brasil e muitos dos condenados eram Cristãos Novos; o crime cometido era confessar a fé judaica secretamente. Em menor escala e por questões políticas e religiosas, no século XIX, muitos europeus de origem judaica (Italianos, Alemães, poloneses, etc.) também migraram para o Brasil. Durante a 2º Guerra Mundial, mais de 100mil judeus refugiaram-se nas Américas, sobretudo na América do Sul, quase sempre de forma clandestina e secreta. Embora a grande maioria dos judeus sefarditas tenha esquecido suas origens e tradições, os registros indicam que grande parte da população brasileira possui traços e sangue judeu. O interessante é que os historiadores do Brasil colonial ignoraram a etnia judaica e sua importância na formação do Brasil. A relação abaixo contém mais de 160 sobrenomes descendentes de judeus; 90% são sobrenomes de judeus processados pela inquisição católica no Brasil a partir de 1624. Certamente, há outros sobrenomes de descendentes de judeus no Brasil, não inclusos na presente relação":

Abreu Alcoforada Álvares Ayres Affonseca Azeredo Azevedo Affonso Aguiar Almeida Amaral Andrade Antunes Araújo Ávila Azeda

Barboza Barros Bastos Borges Bicudo Bueno Bulhões

Cardoso Campos Cazado Chaves Carvalho, Costa Castanheda Castro Coelho Cordeiro Carneiro Carnide Castanho Correa Coutinho Cunha

Diniz Duarte Delgado Dias

Esteves Évora

Faria Favella Febos Fernandes Flores Franco Ferreira Figueira Fonseca Freire Frasão Froes Furtado Freitas

Galvão Garcia Gonçalves Guedes Gomes Gusmão

Henriques

Izidro

Jorge

Laguna Lara Lassa Leão Lemos Lopes Lucena Luzaete Liz Lourenço

Maia Matos Macedo Machado Maldonado Mascarenhas , Martins Medina Mendes Mendonça Mesquita Miranda Moniz Monteiro Moraes Morão Moreno Motta Munhoz Moura

Nagera Navarro Nogueira Neves Nunes

Oliveira Oróbio Oliva

Paes Paiva Paredes Parreira Paz Pereira Perez Pestana Pena Pessoa Peixoto Piza Pimentel Prado Pina Pinheiro Pinto Pires Porto

Quaresma Quental

Ramos Rebello Rego Reis Ribeiro Rios Rodrigues Rosa Róis

Sá Serqueira Sequeira Serra Sylva Seixas Silveira Simões Siqueira Soares Souza

Tavares Teixeira Telles Torres Torrones Tovar Trigueiros Trindade

Ulhoa

Valle Valença Valverde Vargas Vasconcelos Vasques Vaz Veiga Vellez Vergueiro Vieira Vilela

Pesquisa e fotos: Wikipédia  -  Dica enviada pela amiga: Sonia Nigri do Rio de Janeiro