sexta-feira, 16 de abril de 2010

Sirva cada cerveja no copo certo

Conheça as taças ideais para cada tipo de cerveja: da esquerda para a direita
PILSENER, WEIZEN, CONHAQUE, CÁLICE, FLAUTA E CLÁSSICA

Copo "pilsener" (R$ 15)
A cerveja pilsen, como a Eisenbahn Pilsen orgânica, deve ser servida em copo "pilsener" --informalmente conhecido como tulipa. A forma de cone deste copo favorece a transparência e ajuda a manter a cerveja "viva". O estreitamento da boca é preciso para reter aromas muito voláteis e de difícil percepção e para formar um colarinho cremoso.

Copo "weizen"

(R$ 20)
Os copos "weizen" são ideais para cervejas de trigo (weiss) como a Erdinger trigo. São copos bem altos e compridos, capazes de ressaltar o colarinho que se forma à medida que a cerveja é servida. Também possibilitam que todo o conteúdo de uma garrafa de 500 ml caiba no copo. A função da boca larga é a de controlar a expansão do abundante creme e capturar o aroma. O único ponto fraco é que a cerveja esquenta mais rapidamente.

Taça tipo "conhaque"

(R$ 19)
O design arredondado desta taça ajuda a reter a espessa espuma das cervejas encorpadas e fortes, como a Schmitt Barley Wine, e, como acontece com os conhaques, permite que seja envolvido pela mão para aquecer a bebida e, através de movimentos rotativos, exalar os aromas da cerveja.

Taça tipo "cálice"

(R$ 280)
A taça em formato de cálice tem como objetivo manter a integridade do creme e proporcionar maior percepção dos complexos aromas de cervejas encorpadas e frutadas como as trapistas belgas. Às vezes, são decorados com bordas douradas ou apresentam um entalhe no fundo. O preço varia de acordo com a safra.

Taça tipo "flauta"

(R$ 210)
Essas taças, com seu formato longilíneo e alto, evitam que o creme de cervejas como a Deus se dissipe muito rapidamente, o que mantém as qualidades da cerveja dentro do copo. A pequena boca impede a fácil perda dos aromas.

Taça clássica

(R$ 12)
Não tem ligação específica com nenhum tipo de cerveja. Pode ser usada para servir outras cervejas sem taças próprias.

da Folha de S.Paulo