sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Acerca do Coração, amor, compasso e colesterol

Bate, repete, rebate, acelera

Por amor, paixão, medo, susto

Às vezes falha, quase para, sai pela boca

Sai do compasso

Só toma jeito com marcapasso

Aí entra o Cardiologista, esse estraga prazeres

Nada de torresmo, feijoada com batidinhas variadas

Olha o “colesterol” !

Tome o seu remedinho e sinta os efeitos “colaterais”...

Coração quando ta funcionando é vida, saúde, calor

Parado, só serve à morte

Pode ser vermelho, de sangue azul, preto, amarelo

Grande, pode ser fraco

Pequenino, forte.

Provoca sensações, delícias e tristezas

Flechado, amores, grandes paixões e desejos

Um novo amor, pulsa com alegria, falta o ar

Nas mãos a flor da rosa

Partido, desamores, tragédias, traições, batidas desajeitadas e fracas

Cravados no coração os espinhos da rosa, dor

No peito das mães, fica apertadinho

Poetas o exaltam em versos e prosas

Seresteiros o cantam apaixonadamente

Quando coração de estudante, de criança, vagabundo

Deseja tudo que quer, quer guardar o mundo

Mas quando não dá mais para segurar, explode

Pelos artistas, retratado de mil formas, tamanhos e cores

O meu bem cuidado, recebe doses maciças diárias de muito amor

Sorte a minha

Ter quem me ame

(J. UNIVERSO)

Texto e foto: UNIVERSO