quinta-feira, 31 de maio de 2012

Champanhe deve ser servido como cerveja; entenda a razão científica - Sabine Righetti



O brinde típico --com champanhe-- pode ficar ainda melhor se os conselhos de alguns químicos franceses da Universidade de Reims forem seguidos.

Os pesquisadores mostraram que o ideal é a bebida consumida fria (a 4ºC) e servida da mesma maneira que a cerveja (ou seja, com o copo inclinado). Isso porque, a baixas temperaturas e com a inclinação correta do copo, a preservação das bolhas é maior --o que é fundamental no caso do champanhe.
 
A efervescência, formada por CO2, ajuda a transferir o sabor, o aroma e a "sensação" da bebida para a boca (para as papilas da língua) de quem a degusta.
Os cientistas estudaram a perda de dióxido de carbono no champanhe usando dois métodos diferentes. Um envolveu o derramamento da bebida em linha reta na taça. O outro foi feito com o recipiente inclinado (como se faz com a cerveja).

A conclusão foi que servir com a taça parcialmente inclinada diminui pela metade a perda de CO2.
Os químicos também testaram a quantidade do gás em três temperaturas distintas (4ºC, 12ºC e 18ºC) e viram que, quanto mais baixa a temperatura, mais o CO2 se manteve no líquido (o que já se suspeitava pela lei da solubilidade: quanto mais quente a bebida, mais agitadas ficam as moléculas, e o gás se desprende mais facilmente).
O estudo foi publicado no "Journal of Agricultural and Food Chemistry", uma revista científica da Sociedade Americana de Química.


GOSTO PELA COISA

Essa é a primeira vez que cientistas estudaram especificamente a relação entre a quantidade de CO2 e o sabor e a qualidade da bebida.
Mas o grupo da Universidade de Reims, liderado por Gérard Liger-Belair, tem trabalhado há tempos com as bolhas e o sabor do champanhe e de vinhos finos.
Em 2009, eles publicaram outro artigo no qual mostraram que o formato da taça -reto (em forma de "flauta") ou ovalado (de " navio") --pode influenciar a capacidade de a bolha se misturar à bebida, o que altera o seu sabor. No caso, eles mostraram que a ovalada é melhor.
Agora, eles querem desenvolver um modelo matemático completo, que inclua as múltiplas formas de desprendimento do CO2 enquanto o champanhe é servido.
O motivo do interesse pela bebida dos brindes tem uma explicação: a Universidade de Reims fica na região de Champagne-Ardenne, na França. Lá é que é feita a bebida original, que leva o nome da região.

Dica:  Ponha a Champanhe para gelar 30 minutos antes de servir em um balde com água e gelo e mantenha a garrafa no balde enquanto ela é consumida.

 Pesquisa: Internet - FOLHA ONLINE - Foto: UNIVERSO